quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O LIVRO VERMELHO DOS VERTEBRADOS

VAMOS FICAR SEM ELAS MUITO EM BREVE
8 espécies de peixes, 9 de mamíferos e 13 de aves enfrentam elevado risco de extinção na
Natureza em Portugal.
Não tarda e ficaremos sem elas.
Espécie criticamente em perigo, significa que houve, ou que é suscetível de ocorrer uma
redução substancial, na ordem dos 90% da sua população.
Segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados, da responsabilidade do Instituto da Conservação
da Natureza e da Biodiversidade, em risco crítico de sobrevivência em Portugal estão 13 espécies
de aves, 9 de mamíferos e 8 de peixes, de água doce e migradores.
Um dos peixes que pode desaparecer num curto espaço de tempo é bastante apreciado,
no prato, pelos portugueses.
é a Lampreia de rio e de riacho, o principal fator de ameaça é a destruição do seu habitat,
devido à construção de barragens, extração de inertes e poluição das águas.
Estima-se que existam apenas dez mil lampreias.
Peixes igualmente em risco são; o Saramugo, Boga-do-sudoeste, Boga-portuguesa, Escalo do
Arade, Escalo do Mira, Salmão do Atlântico e a Truta-marisca.
São ainda em maior número as aves que enfrentam um risco extremamente elevado de
extinção da Natureza.
Neste momento, não existem mais de 6 Abutres-pretos em ambiente natural, pois são
vítimas de envenenamento e das alterações do sistema agrícola e pecuário extensivo.
O pastoreio de fora de estábulo, é cada vez mais residual e os cadáveres dos animais não são
deixados no campo, pelo que estas aves noctívagas, que se alimentam de cadáveres, ficam
sem ter com que se alimentar.
Não tarda muito e dos céus de Portugal podem também desaparecer a Águia-imperial,
a Águia-pesqueira e a Narceja, entre muitas outras.
No capítulo dos mamíferos, para álem de várias espécies de Morcegos e do Lince ibérico,
que não é avistado à mais de 20 anos em Portugal, o que indicia a sua pré-extinção, são
considerados criticamente em risco a Cabra-montês e o Lobo-marinho, este último na Madeira.
O que tem feito a vida impossível à Cabra-montês é a alteração do habitat, devido aos fogos.
Existem apenas 50 indivíduos maduros que ocupam uma área restrita, nas serras do Gerês e da Amarela.
Quanto ao Lobo-marinho, as expetativas são melhores, apesar de serem apenas cerca de
50 a sua população tem vindo a crescer , na Madeira.

Nenhum comentário:

PESQUISE NO TRUQUES & DICAS

Custom Search